Marcado: Ivan Vilela

A cantora com pássaros na garganta comemora 30 anos de LP em show especial em SP

        Imagem

Por Carol Alencar

        Ela surgiu como uma pluma, toda leve, deixando a aura transparecer e com uma energia branda. Com os braços a vontade, sentou-se em seu banquinho e pegou sua parceira de anos, carinhosamente chamada de craviola e iniciou o concerto de uma hora e meia. Tetê Espíndola comemorou 30 anos do LP ‘Passaros na Garganta’ em grande estilo. Afinal, 30 anos não são 30 dias e ela, bem, ela merece. 

         No primeiro instante, sozinha, no palco com um piano de um lado e um vibrafone de outro, ela, toda de branco, reinava e fazia as honras de começo. Por um instante, nós ouvíamos aquela sincronia de instrumento e voz que só Tetê sabe fazer. Agudos, graves, teve pra todos os gostos. Logo depois da terceira música, a grande novidade surgiu e encantou. Um telão abriu-se atrás da cantora de pássaros na garganta e com imagens mescladas de natureza, água, rocha, frutos, foi tomando conta do show.

         Em meio a Cunhataiporã, ela, ainda sozinha do palco só com os senhores instrumentos, fazia da gente, meros espectadores, mais precisamente vinculados com a essência daquele cerrado que tanto é citado em suas musicas, emoção pura. Uma emoção indescritível, que só quem passou por um processo intenso na natureza, compreendia. Só quem respirou um ar puro, de um cerrado sabia o real motivo daquele show.

          Pra completar, em meio a lagrimas e arrepios de sensação pantaneira, a outra surpresa veio a tona. Além do imenso cenário encantador, o som ambiente, misturava o agudo de Tetê com pássaros do pantanal e volta e meia, entre uma musica e outra, trazia o anoitecer do cerrado para ali, naquele show, naquele teatro, em plena São Paulo. Bastava a gente fechar os olhos e deixar fluir. Estávamos realmente em pleno Pantanal. Faltou somente o cheiro.       

         E no fim, já com seus convidados especiais, Ivan Vilela, simplicidade e bairrismo em sua viola, somava com o músico Félix Wagner, autêntico e voraz no piano e cauteloso e leve no vibrafone tornou-se uma equipe sonora mágica.

A música de Tetê Espíndola não tem rótulo. Não é pop, nem rock, nem música contemporânea, nem MPB e muito menos sertanejo. É uma vertente única, só dela e que só ela sabe fazer.

         Lisérgico ao extremo, mas com uma sensação que acalentou a alma, abraçou e pegou no colo como se fosse uma mãe. Esse foi o show especial 30 anos de Pássaros.

Imagem

Felix Wagner, Tetê e Ivan Vilela no show comemorativo de 30 anos do LP Pássaros na

Garganta no Sesc Belenzinho – dias 9 e 10 de junho de 2012.

Anúncios