Categoria: Uncategorized

Projeto “Maracangalha 11 nas ruas” terá Grande Mostra, nas ruas

Tekoha-Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno

Espetáculo Tekohá – Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno

Teatro Imaginário Maracangalha apresenta

 “Maracangalha nas ruas”

 Fonteatro/2017/SECTUR/PMCG

 

Em 2018, o Teatro Imaginário Maracangalha, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, celebra 11 (quase 12) anos de atuação continuada..

Desde o começo no ano, o grupo está a todo vapor com ensaios, oficinas vem aprimorando todos os trabalhos que levam sua marca. Tudo para lançar o projeto Maracangalha nas ruas” – que em breve terá uma Mostra Gratuita de apresentação do repertório além do tradicional Seminário Arena Aberta.

Conhecidos por percorrer ruas, espaços públicos, festivais, circuitos, mostras com espetáculos, performance, oficinas e não menos importante mas em relevância, cortejos, o grupo sente-se na melhor fase de sua trajetória.

Na Capital de MS, o TIM desenvolve e desenvolveu, durante estes 11 anos, diferentes ações abertas a toda comunidade. Vale ressaltar que somos, sem dúvida, o grupo que mais ocupou espaços públicos abertos com arte e cultura nos últimos tempos.

O grupo faz da autogestão seu modo de organização e manutenção e subsidia suas ações com contribuições dos membros e do público, que colabora no chapéu das apresentações nas ruas e eventuais projetos e prêmios.

O projeto “Maracangalha nas ruas”, faz o grupo revisitar seu repertório que é composto de quatro (4) espetáculos e três (3) intervenções de rua.

Os espetáculos são: “Tekoha -ritual de vida e morte do deus pequeno”; “Areôtorare – o verbo negro e Bororó do índio profeta”; “Conto da Cantuária” e “Tragicomédia de dom Cristóvão e Sinhá Rosinha”.

As intervenções nas ruas são: “Cabeça de papelão”, “Operário em construção” e “Ferro em Brasa”.

No momento o grupo desenvolve a primeira etapa do projeto com treinamento em canto/voz, musicalização e corpo/estado cênico desenvolvidas por profissionais, ensaios abertos, manutenção dos instrumentos musicais, figurinos e adereços das obras   .

Na continuidade do projeto de manutenção o grupo leva para as ruas de Campo Grande a Mostra de repertório com espetáculos e intervenções cênicas em espaços públicos e o Seminário Arena Aberta dialogando sobre o teatro de rua, estéticas, política e direito a cidade.

O grupo tem o que celebrar, tem trabalho continuado, resistência, pesquisa e muita luta para manter-se, inclusive o FONTEATRO2017/SECTUR/PMCG que investe publicamente no projeto é uma conquista da classe teatral para cidade de Campo Grande.

O projeto “Maracangalha nas ruas” impulsiona o trabalho continuado do grupo fazendo da arte um direito da comunidade campo-grandense. São 11 anos de trabalho e essa história tem que continuar. Evoé!

 

Repertório em manutenção:

Teatro de Rua:

 

  • Tekoha -ritual de vida e morte do deus pequeno
  • Areôtorare – o verbo negro e Bororó do índio profeta
  • Conto da Cantuária
  • Tragicomédia de dom Cristóvão e Sinhá Rosinha

 

Intervenção de Rua

 

  • Cabeça de papelão
  • Operário em construção
  • Ferro em Brasa

 

 

A Mostra “Maracangalha nas Ruas” será realizada em meados de junho de 2018. Até lá, o Teatro Imaginário Maracangalha percorrerá com sua agenda normalmente. Ensaios, performances e apresentações em espaços públicos. Estamos com oficinas e preparando a programação da Mostra que será gratuita e com seminário para todos.

 

Contato para imprensa:

 

Fernando Cruz – Diretor Teatro Imaginário Maracangalha

(67) 9 9250-9336

 

Carol Alencar – Assessoria de Imprensa

(67) 9 9999-6361

IMG-20180319-WA0014

 

28471492_1465695323539215_1847068555534658590_n

Intervenção – Cabeça de Papelão Foto: Mara Rojas

 

Anúncios

Cia OFIT apresenta novo espetáculo “Pedra Bruta” em maio no Aracy Balabanian

PEDRA BRUTA por Helton Pérez - Vaca Azul5242_MG_5242

Foto: Helton Perez – Vaca Azul

Cia OFIT apresenta

“Pedra Bruta” – Ensaio para colher o provisório das coisas

Um espetáculo de Éder Rodrigues com direção de Nill Amaral

Com direção de Nill Amaral, a Cia OFIT apresenta nos dias 03, 04, 05 e 06 de maio o espetáculo “Pedra Bruta – Ensaio para colher o provisório das coisas”.

Escrito pelo dramaturgo e colaborador da OFIT há mais de cinco anos, Éder Rodrigues, a peça é originária do projeto “AMADORES – O que você gostaria de dizer através do teatro e não teve oportunidade?” que no começo deste ano, teve sua desenvoltura através do Edital FOMTEATRO – Fundo de Apoio ao Teatro de Campo Grande – por meio da SECTUR – Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Campo Grande com apoio da SECC – Secretaria Estadual de Cultura e Cidadania – FCMS – Fundação de Cultura – Centro Cultural José Octávio Guizzo e UFGD – FACALE Curso de Artes Cênicas.

As sessões serão sempre às 20h de quinta a sábado e domingo às 18h e 20h. O acesso é livre e os ingressos deverão ser retirados no local com 30 minutos antes do espetáculo.

PROJETO AMADORES

O projeto trouxe como proposta a realização de um espetáculo inédito, a ser concebido a partir da integração entre profissionais e artistas amadores. O ponto de partida do espetáculo teve como mote, as descobertas dos atores durante o processo de workshop e construção da peça a partir da seguinte pergunta: “O que você gostaria de dizer através do teatro e não teve oportunidade?”

Ao todo, mais de 100 inscritos, dos quais, 22 foram selecionados na primeira etapa do projeto e que consistiu em um workshop com o diretor Nill Amaral e a diretora, atriz e professora da UFGD, Júnia Pereira. Após essa etapa 08 artistas entre amadores e profissionais complementam o espetáculo. São estes: Amanda Dim, Alexandre Melo, Danielle Samara, Leandro Faria, Ethieny Karen, João Arce, Richard Lima e Vini Del Vecchio

 Durante o processo de ensaios e preparação do projeto, muitos recortes foram surgindo, inspirados na polarização e nos contextos sociais bastante discutidos na atualidade, como a falta de comunicação, a intolerância, o preconceito etc…

“O projeto não teve a conotação de realizar oficina para formar atores, mas o de buscar um diálogo cênico que atravessasse o seu pensamento na construção de uma identidade teatral que só a arte permite”, afirma o diretor Nill Amaral.

Sobre o espetáculo, o diretor complementa que “no palco os atores encenam situações que vai da violência ao processo de questionar o próprio estar em cena, em outras palavras, discutir o fazer teatral na nossa atualidade.As cenas se desenrolam a poucos metros do público, no “foyer” do teatro, pretendendo uma identificação imediata”.

Quanto a encenação ser no “Foyer” do Teatro Aracy Balabanian, Nill especifica: “o ambiente foi reformado para conceber o espetáculo, com a intenção de criar uma identidade para o grupo, além disso, pela importância da primeira etapa de seleção ter sido feita no local, alcançando um numero expressivo de inscritos e também um resultado satisfatório nas mídias locais”.

Todo o processo teve mais de quatro profissionais renomados orientando cada passo, desde o figurino aos vídeos/depoimentos elaborados para o espetáculo partiram da premissa inicial.”o que você gostaria de dizer através do teatro e não teve oportunidade?

“Com essa pergunta lançada na plataforma do site da Companhia OFIT, durante o processo de construção, outras premissas foram surgindo, que permitiram chegar numa dramaturgia traçada pelo dramaturgo Éder Rodrigues.

Vale ressaltar que o espetáculo soma a quarta obra do dramaturgo que é dirigida pelo diretor Nill Amaral no Estado, a primeira foi uma adaptação de “Gota d’ água” de Chico Buarque, seguida de “Toada para recolher rastros do céu” livremente inspirado num conto do escritor sul-mato-grossense Reginaldo Albuquerque e “Três vírgula quatro graus na escala Richter” texto escrito especialmente para a companhia, levado aos palcos de diversas cidades do estado e principais festivais.

Serviço:

Espetáculo: “Pedra Bruta” – Ensaio para colher o provisório das coisas”

Dias: 03/04/05 de maio (de quinta á sábado ás 20h) e dia 06 de maio em dois horários (às18h e 20h)

Investimento: Gratuito – com retirada do ingresso com 30 minutos de antecedencia

Local: Foyer do Teatro Aracy Balabanina – 2º piso – Centro Cultural José Octávio Guizzo

Endereço: Rua 26 de Agosto, 453 – Centro, Campo Grande – MS Informações pelo telefone (67) 3317-1792

SINOPSE

O novo espetáculo da Cia. OFIT é uma mistura de arte e vida, de emoção e entrega, de gatilhos e pulsões. Neste trabalho, revelamos um caleidoscópio de situações e angústias que promove uma exposição direta, engraçada e sensível sobre a intolerância, a juventude e a intensidade dos tempos de agora. Enquanto a natureza de um grito coletivo é lapidada, o teatro desponta para iluminar a superfície dos olhos e aquele açúcar que fica no fundo. O estado bruto se torna a matéria tanto das pequenas violências cotidianas quanto da nossa capacidade de moldar o tempo que resta. Pedra Bruta é um encontro que estreita a distância entre ator e personagem, entre os silêncios coagidos e as explosões que pairam quando o palco se transforma no instante incontornável para se falar sobre tudo o que poderíamos ser, se o mundo soubesse colher a brutalidade das pedras.

PEDRA BRUTA por Helton Pérez - Vaca Azul5325_MG_5325

Foto: Helton Perez – Vaca Azul

“Maria não é mais Virgem” traz olhar sobre sexualidade da mulher em exposição no Centro Cultural

mariaflyer1

Artista Lina da Anunciação quis retratar erotismo feminino em sua obra

Exposição vai de 07 a 25 de março

Classificação: 18 anos

Sexo e sexualidade feminina ainda são tabus?

Existirá algo como o erotismo feminino?

 

Maria não é mais virgem é uma série que propõe um olhar sobre alguns dos vários elementos que tocam a sexualidade da mulher. Aborda a relação da mulher atual com o sexo, com o seu próprio corpo e sexualidade e busca expressar o erotismo feminino.

 

A experiência sexual é, sem dúvida, um dos elementos que contribuem profundamente na identidade de uma pessoa, pois está integrada na trajetória emocional e, portanto, se funde à persona de cada um.

 

No mundo contemporâneo, em constante renovação, a mulher ainda busca alcançar uma maior segurança em relação à sua própria identidade e sexualidade, com o intuito de aceitar e celebrar o seu corpo, apesar dos tabus ainda existentes.

 

Esta série foi criada a partir da colaboração de mulheres das mais variadas áreas, gerações e interesses, através de discussões e até mesmo imagens.

 

Maria não é mais virgem é uma série que questiona a sexualidade da mulher, tanto na sua expressão quanto para si.

 

E que estas discussões nos levem a uma maior compreensão das estruturas subliminares de contenção física e comportamental que visam a manutenção da identidade dos gêneros na sociedade contemporânea e, dessa maneira, a mulher atual prove, cada vez mais, deste espaço de existência e expressão mais liberto onde seja naturalizado e assumidamente adotado o fato de que ela, a mulher, sente prazer.

 

A artista

 

Há muitos anos a artista visual Lina da Anunciação tem atuado nas áreas mais variadas para ilustração e pintura de quadros e de grande escala.

 

Há seis anos vem participando de exposições individuais e coletivas. Lina é uma artista versátil, iniciou sua carreira na Europa decorando festivais de música eletrônica, também em diversos estados do Brasil, passou pelo óleo, abstrato, pela arte digital e pela ilustração.

 

No momento, a técnica que a artista mais usa é a aquarela sobre papel, trabalha explorando as fronteiras da figuração e a abstração. Suas composições são livres de expectativas e buscam exaltar os sentimentos, o universo psíquico, e de forma visível, a beleza da natureza e a exaltação do feminino.

 

A artista também tem alguns murais já reconhecidos pela cidade em outros estados e já criou ilustração de dois livros. Há dois anos a artista percebeu a relevância e a importância de iniciar um estudo mais aprofundado e chamar a atenção para a presença de mulheres geniais na história da arte e que ainda são desconhecidas.

 

Contato para imprensa:

Lina da Anunciação – (67) 9 9267-0872

Carol Alencar – Assessoria de Imprensa – (67) 9 9999-6361

 

Artista Lina da Anunciação realiza palestra sobre “A História das Mulheres na Arte” dia 15 no Centro Cultural

palestrafler

A História das Mulheres na Arte

A História das Mulheres na Arte é um circuito de três palestras de duas horas e meia cada uma, que tem como objetivo lançar à luz nomes de mentes artísticas femininas extraordinárias e que tiveram uma expressiva participação em variados campos artísticos como a música, a escultura e a pintura, por exemplo.

A palestra acontecerá no dia 15 de março, às 19 horas no Centro Cultural José Octávio Guizzo. A entrada é gratuita.

A história das mulheres na arte é que as mulheres não foram permitidas a fazerem parte da história. “E a minha missão é diminuir esse desequilíbrio, pois apenas uma pequena porcentagem de nomes femininos compõe as mais ilustres coleções do mundo e não é porque as mulheres não eram habilidosas ou porque não possuíam uma mente extraordinária. Ao contrário, neste circuito de palestras poderemos conhecer mentes admiráveis e criações fantásticas, todas assinadas por artistas mulheres”, retrata a artista.

No primeiro módulo Lina aborda artistas europeias do Renascimento ao século vinte. Neste módulo, ela trata um pouco da história pessoal de cada artista bem como dos desafios e das lutas que cada uma enfrentou para expressar-se, fato comum a todas elas. Da mesma forma faz uma releitura de algumas de suas obras apontando os elementos que as tornam tão geniais e dignas de serem conhecidas e tão aclamadas quanto seus colegas artistas do gênero masculino.

Artistas visitadas no primeiro módulo

Artemisa Gentileschi, pintora italiana

Berthe Morisot, pintora francesa

Bertha Wegman, pintora dinamarquesa

Clara Schumann, compositora alemã

Eva Bonnier, pintora sueca

Fanny Hensel, compositora alemã

Jeanna Bauck, pintora sueca

Lady butler, pintora britânica

Maria sibylla, artista e naturalista alemã

Properzia de ‘Rossi, escultora italiana

Sofonisba Anguissola, pintora italiana

 A História das Mulheres na Arte

Palestras duração máxima: 1:30″h

Módulo 1 Artistas europeias do Renascimento ao século XX

Módulo 2 Artistas brasileiras e de todas as Américas até o século XX

Modulo 3 Arte por mulheres contemporâneas

Da palestrante

Lina da Anunciação

Há muitos anos a artista visual Lina da Anunciação tem atuado nas áreas mais variadas para ilustração e pintura de quadros e de grande escala. Há seis anos vem participando de exposições individuais e coletivas. Lina é uma artista versátil, iniciou sua carreira na Europa decorando festivais de música eletrônica, também em diversos estados do Brasil, passou pelo óleo, abstrato, pela arte digital e pela ilustração. No momento, a técnica que a artista mais usa é a aquarela sobre papel, trabalha explorando as fronteiras da figuração e a abstração. Suas composições são livres de expectativas e buscam exaltar os sentimentos, o universo psíquico, e de forma visível, a beleza da natureza e a exaltação do feminino. A artista também tem alguns murais já reconhecidos pela cidade em outros estados e já criou ilustração de dois livros. Há dois anos a artista percebeu a relevância e a importância de iniciar um estudo mais aprofundado e chamar a atenção para a presença de mulheres geniais na história da arte e que ainda são desconhecidas. Um de seus objetivos como uma artista visual contemporânea tornou-se, portanto, ser a voz para estas mulheres esquecidas.

 

Contato para imprensa:

Lina da Anunciação – (67) 9 9267-0872

Carol Alencar – Assessoria de Imprensa – (67) 9 9999-6361

CIA OFIT abre inscrições para artistas não-profissionais em projeto “Amadores”

CIA OFIT apresenta

AMADORES

O que você gostaria de dizer através do teatro e não teve oportunidade?

Fev/2018

A Cia Ofit – Associação Cultural Oficina de Interpretação Cultural realiza o projeto “Amadores – O que você gostaria de dizer através do teatro e não teve oportunidade?” para os campo-grandenses apaixonados por teatro.

As inscrições são gratuitas e estão abertas de 16 de janeiro a 13 de fevereiro de 2018. O candidato deverá entrar no site da Companhia www.ciaofit.com.br e acessar a ficha de inscrição.

O projeto tem como propósito despertar nestes artistas não-profissionais, um encontro com WorkShop e participação em um espetáculo que seguirá com dramaturgia a partir do encontro entre artistas profissionais e, obviamente, os amadores que serão selecionados.

Para participar, os artistas amadores terão de responder a Ficha de Inscrição que vem acompanhada de uma entrevista/questionário e principalmente, a pergunta: O que você gostaria de dizer através do teatro e não teve oportunidade?

Feito isso, o artista deve esperar a resposta no e-mail que cadastrar na Ficha.

Ao todo, serão selecionadas 7 (sete) pessoas, entre estes – artistas e técnicos – para realizarem o Workshop Teatral com profissionais da OFIT.

Segundo o Diretor da Cia OFIT, Nill Amaral, o Workshop servirá como experiência para fortalecer a seleção dos astistas amadores que irão compor o espetáculo.

Ele será centrado na composição da dramaturgia por meio dos depoimentos e, além disso, visa oferecer aos participantes previamente selecionados elementos propulsores para a prática teatral que desencadeiem novos processos de criação e elaboração da cena a partir dos novos registros da teatralidade”, adianta Nill.

Após a realização do Workshop, serão escolhidos 03 (três) artistas amadores que, juntamente com outros atores profissionais, integrarão um novo espetáculo. Para isso, os interessados deverão ter disponibilidade de horários para os ensaios.

Para os integrantes selecionados que participarão do espetáculo, haverá o pagamento de um cachê correspondente ao valor de um salário mínimo mensal para os ensaios e cumprimento de temporada de 05 (cinco) apresentações.

A pré-seleção será feita por meio de entrevistas e ficha de inscrição. Os candidatos inscritos deverão comparecer nos dias e horários estabelecidos neste cronograma para as entrevistas. Aqueles que se inscreverem no programa de seleção e não comparecerem para a entrevista nos dias mencionados, serão inabilitados de participar do projeto.

 

Data e local: Dias 15 e 16 de Fevereiro de 2018 das 16h às 19h00 no Centro Cultural José Octávio Guizzo – Endereço: Rua 26 de Agosto, 453 – Centro, Campo Grande – MS

 

www.ciaofit.com.br

Foto Gabi Dias Jornal peça A Serpente de Nelson Rodrigues CIA OFIT

Espetáculo “A Serpente” da CIA OFIT. Foto: Gabi Dias

Foto Jornal Gota d Agua 2013 2

Espetáculo “Gota D’Água” da CIA OFIT

Ateliê Ramona Rodrigues apresenta novo elenco do espetáculo Palhashow neste domingo (25), no Arena Bosque

flyer palhashow

No próximo domingo, 25 de novembro, às 20 horas, o Ateliê Ramona Rodrigues irá apresentar o mais novo elenco do Grupo Infantil de Teatro – Brincarte no espetáculo Palhashow.

O evento será realizado no Arena Bosque, no Shopping Bosque dos Ipês. A entrada é 1 brinquedo novo a partir de R$ 15,00.

O Grupo Infantil de Teatro Brincarte foi criado em 2009 para dar continuidade ao desenvolvimento dos atores mirins que participam das oficinas de teatro para crianças.
Através do espetáculo Palhashow, eles exercitam suas habilidades criativas colocando em prática tudo que vivenciaram durante o processo da oficina, criando e construindo seu personagem.

Sinopse
O espetáculo Palhashow traz um repertorio de reprises do circo tradicional, onde cada criança desenvolve o estudo da arte do palhaço através da interpretação e encenação no picadeiro da alegria da brincadeira e espontaneidade.
No elenco 10 crianças entre 5 e 13 anos são acompanhados por uma charanga

Elenco:
– Alice de Almeida Souza Santos da Costa
– Bárbara Taques
– Caetano Taques
– Gabriela de Oliveira Murta
– Helena Vieira Índio do Brasil
– Isabela Maria Pimentel
– Sofia Rodrigues Conceição Dixon
– Txai Scardini Sampaio Morgan
– Vicente Ribeiro Santos
– Vitória Ribeiro Santos

Serviço

O que: Espetáculo Palhashow com Novo Elenvo

Quando: Domingo, 25 de novembro de 2017

Onde: Arena Bosque (Avenida Cônsul Assaf Trad, 4.796 – Shopping Bosque dos Ipês)

Horário: 20h

Mais informações pelo telefone (67) 9 9903-3550.

 

brincarte

brincarte 3

Sarobá Boca Quente vem aí… 18 de novembro, na Antiga Rodoviária

flyer oficial_sarobá

TEATRO IMAGINÁRIO MARACANGALHA APRESENTA

SAROBÁ É BOCA QUENTE

18 de Novembro

15 horas

Antiga Rodoviária

SAROBÁ É BOCA QUENTE já dizia o poeta Lobivar Matos (1917-1945) ao retratar o Sarobá – bairro de negros em Corumbá. Aquela realidade não mudou muito, vivemos em tempos de exceção, censura e repressão mas, infelizmente, a Arte fala mais alto assim como o poeta.

E com nossas bocas bem abertas e quentes, cantamos, denunciamos, gozamos e lutamos incessantemente!!!

Dessa vez vai ser na Antiga Rodoviária, retrato do abandono e da ausência do Estado, porém, lugar também habitado por moradores da cidade. Acreditamos que o direito a cidade é viável e estamos aí para isso mesmo, transformar, somar, construir derrubando paredes e muros erguendo outro mundo possível.

Nessa empreitada contamos com a participação dos Artes Educadores do MS, do Brasil e do Mundo que estarão em Campo Grande para a XXVII CONFAEB, V Congresso Internacional de Arte educadores, II Seminário Estadual de Cultura e Educação de Mato Grosso do Sul.

A programação de mamando a caducando do Sarobá Boca Quente e do Seminário Arena Aberta está sendo construída… Acompanhe, divulgue, compartilhe…

Nossa divulgação maior é boca a boca > Boca Quente.

EVOÈ!

Apoio > FAEB (Federação de Arte Educadores do Brasil), ASMAE (Associação Sul-mato-grossense de Arte Educadores,FCMS (Fundação de Cultura do MS), SECTUR (Secretaria Municipal de Turismo e Cultura), Projeto Florescer, Centro Comercial Condomínio Terminal do Oeste e muitos AMIGOS!

Realização > Teatro Imaginário Maracangalha

67 92509336

67 30435751

67 3044107

Programação Sarobá Boca Quente

Música >

Elinho do Bandaneom

CanaRoots

Vídeo Sonic

Falange da Rima

Arduará

Performance /Intervenção>

Muros – Artes Cênicas UEMS

Carnicerias do Futuro – Poesia Douglas Guedes -Oficina Teatro a Céu Aberto

Corrida das Draggs

Cortejo Teatro Imaginário Maracangalha

Cinema >

Transcine & Tamo na Rodo

Fotografia>

Varal de Resistência – Diogo Gonçalves

DJ e Apresentação >

Performer Maíra Espíndola

Teatro de Rua >

A coragem que preserva os dentes- Grupo ClanDesTinos –Dourados MS

Cultura Popular & Dança >

Grupo de Capoeira Camuanga de Angola

Roda de Coco – Eleni Souza -SP

Literatura>

Poesia & Lambe Lambe Portunhol Selvagem- Douglas Diégues

Cultura da Infância >

Leitores ao Vento

Oficina para crianças com Neska Brasil

SEMINÁRIO ARENA ABERTA – ARTE EM DESLIMITE

O “Seminário Arena Aberta -“Arte em Deslimite” é uma proposta de diálogo aberta, com interessados em refletir e abordar os deslimites da invenção, produção e intervenção artística. A ideia de deslimite foi roubada nas invenções da poesia de Manoel de Barros, por favor, não nos delatem, apenas desejamos, desejo, desejante em nos movimentar, feito nômades, para afirmar com corpo, alma e todo o caos possível, a defesa da livre manifestação de pensamento da/pela Arte, em suas mais diversas linguagens.

Os amantes errantes dos festejos da popular e necessária festa Sarobá e suas delícias em cortejos, com Bocas Calientes, perguntam em prece Dionisiaca: “O que pode a arte em suas relações com a rua?” principalmente nos dias de hoje ,tempos de exceção, censura e repressão. Os parceiros do La-firma ZN Clã, na denúncia dos mil pecados, desrespondeu, se expressou, arte-viva-vida, quem não viu-verá, é só colar, todos são bem-vindos, que a liberdade nos abençoe…

La-Firma ZN Clã – Grupo de Rap criado em Janeiro de 2015, com cinco integrantes, todos da Zona Norte de Campão, trazem através do Rap sua mensagem e sua luta, além da visões de cada MC acerca do dia a dia na região periférica de Campo Grande. Militantes atuantes na área da educação e cultura através de parcerias com escolas, e outros movimentos artísticos e sociais da Cidade. Poesia marginal para combater e também aliviar a tensão de toda essa pressão sistêmica em que vivemos.

Thiago Rodrigues Carvalho – Thiagão, aprendiz, deformado nas academias geográficas e espaciais dos vales de camisões e piraputangas, diziam que tinha mestrado e doutorado caçando coisas menores e vagabundas do desaprender. De arte, não sabia nada, do restante, um pouco menos, para todos os fins, e liberto pela confiança amiga, com admiração e respeito, pediu licença para se juntar, Evoé!

SERVIÇO

SEMINÁRIO ARENA ABERTA

Quando e Onde: 17/11 19:00 na Central de Economia Solidária 2º Piso -Rua Cândido Mariano, nº 1500 – Centro

Mediador – Prof. Doutor Paulo Cesar D. Paes

CanahootsArduará

Clandestinos Dourados Foto Franz Mendes

falange da Rima

Higor Advenssude estreia exposição TOTEM-MS 40 ANOS no sábado

CONVITE OFICIAL DA EXPOSIÇÃO TOTEM MS 40 ANOS HIGOR ADVENSSUDE

Exposição de esculturas em homenagem aos 40 anos de Mato Grosso do Sul chega a Campo Grande dia 14 de outubro de 2017.

Da série MS 40 anos, o artista plástico Higor Advenssude traz para Campo Grande a exposição TOTEM, composta por quatro esculturas com dimensões de 90x270cm, elaboradas em MDF laqueado sobre suporte de aço galvanizado. As obras serão expostas a céu aberto na Praça Ary Coelho a partir de 14 de outubro de 2017.

Um totem pode ser um objeto ou outra coisa qualquer que seja cultuado como um símbolo ou como ancestral de uma coletividade. No presente caso, os totens criados por Higor receberam seus primeiros traços em 2006, quando ele projetou os cenários para o espetáculo AnDanças do Grupo Camalote. Desde o início, os totens criados naquela proposta nos remetem à ancestralidade da formação do povo sul-mato-grossense, um caldeirão cultural que recebe contribuições de muitos povos: as essências da cultura andina que tomam conta do cotidiano na musicalidade, na alimentação, nos usos e costumes; o ser e o fazer ibéricos, transformados pelos migrantes de outros estados brasileiros e sedimentados em terras do oeste; as sonoridades e hábitos das fronteiras enraizados em nós, além das culturas nativas indígenas e de um Brasil caboclo que nos moldou para sermos quem hoje nos mostramos.
Depois de dez anos, ao retomar o projeto, as esculturas foram atualizadas pelo artista e aparecem interligadas pela força expressiva de suas formas geométricas e cores vivas em profusão, revelando iconografias, símbolos e referências históricas nas composições modulares e nas vigorosas expressões impregnadas de memórias, projetadas com uma estética que lembra a arte africana.

20171009_094141-1
Essas impressões colocam em evidência não só a memória histórica da formação do povo sul-mato-grossense, mas também nos fazem pensar sobre as culturas populares formadoras da nossa identidade como: musicalidade tradicional, costumes, alimentação, religiosidade, linguagem e outras coisas mais.
Portanto, são obras que permitem abrir o diálogo entre arte e memória, incentivam a relação entre homem e espaço, mas propiciam, principalmente, a oportunidade de nos reconhecermos na essência cultural daquilo que somos. O Estado de Mato Grosso do Sul ganha, assim, mais uma homenagem para comemorar os seus 40 anos de criação.

Marlei Sigrist
Curadora da exposição

Sobre o Artista:
Higor é paulista, natural de Auriflama. Viveu durante 8 anos em Campo Grande, aonde desenvolveu diversos projetos culturais, sendo o mais relevante, a 1ª. Residência Artística do Mato Grosso do Sul, em 2010.
Formado em Artes Visuais pela UFMS (2007), atuou como Arte-educador no projeto Sapicuá Pantaneiro; como produtor, cenógrafo e dançarino no grupo Camalote e como Técnico de Cultura no SESC Horto entre 2007 e 2010.
Atualmente integra o grupo de representantes do Sistema Estadual de Museus de São Paulo, desenvolve projetos de exposições e curadoria, além de se dedicar a produção de novas esculturas de estética totêmica.

 

5ª Mostra de Teatro Infantil de MS têm inscrições abertas para Oficinas

FACHADA-Fachada

A mostra acontece de 12 a 19 de outubro em Campo Grande

Troca de ingressos podem ser feitas a partir de 26 de setembro

Com o objetivo de promover uma agenda de espetáculos teatrais voltados para a infância, Ramona Rodrigues em parceria com entidades e agentes culturais, realizaram quatro edições da Mostra de Teatro Infantil, o projeto ofereceu oficinas, palestras e promoveu campanhas de arrecadação de brinquedos que foram doados para crianças em situação de vulnerabilidade social, superando a marca de 3.000 doações.

Na 5ª edição com investimento do Fundo de Investimentos Culturais – FIC/MS, Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania – SECC e do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, a Mostra recebe artistas e companhias teatrais da capital e interior de MS.

O evento acontece no período de 12 à 19 de outubro de 2017, com oficinas, seminário, diálogos, promovendo o intercâmbio e reflexões, produzindo conhecimentos a partir das conexões entre o Teatro Infantil, Arte-educação e Cultura da Infância, oferecendo aprimoramento a artistas, arte-educadores, professores e demais profissionais que atuam com o público infantil, além de apresentar oito espetáculos.

Dentro da 5ª Mostra acontecerá duas oficinas, de 12 a 15 de outubro (uma no Centro Cultural e outra na Biblioteca Isaias Paim),são elas: “Oficina de Interpretação Teatral” com o diretor Breno Moroni (RJ) e “Oficina de Cadernos de Registros: narrativas de viagens, memórias de viajantes” com Clarissa Suzuki (SP). As inscrições para participar das oficinas estão abertas e devem ser feitas através do blog do Ateliê Ramona Rodrigues.

Com o intuito de inovar, esta iniciativa se desloca este ano para quatro comunidades periféricas na cidade de Campo Grande/MS, levando a produção do teatro infantil, atividades lúdicas como as brincadeiras tradicionais e cantigas de roda. Serão ainda distribuídos os brinquedos e livros arrecadados.

Os ingressos para participar dos espetáculos podem ser trocados por brinquedos ou livros novos, nos postos de troca autorizados que são: Ateliê Ramona Rodrigues (Rua 14 de Julho, nº 1.431 – casa 3 – Centro) das 14h às 18h e Livraria Leparole (Rua Euclides da Cunha, nº 1.126 – Jardim dos Estados) no horário comercial.

1º Seminário da Cultura e da Infância

PROGRAMAÇÃO SEMINÁRIO

13/10 – 13h30 às 17h30

– Palestra: Caderno de Professor-artista: espaço acolhedor do exercício reflexivo e da ação criadora – Clarissa Suzuki/SP.
Tema I “Direito de Criança é coisa séria” – Celene Nessimian – Campo Grande/MS.
Tema II “O impacto das novas tecnologias na infância” – Andrea Freire – Campo Grande/MS.

14/10 – 13h30 às 17h30

Tema III “Contextos da arte na educação”. Christiane Araújo – Campo Grande/MS.
Tema IV “Literatura e dramaturgia infanto juvenil” – Melly Sena – Campo Grande/MS.

Local: Memorial da Cultura Apolônio de Carvalho (Fernando Corrêa da Costa Centro, Campo Grande)

OFICINAS

1 – Oficina de Interpretação Teatral

Breno Moroni/RJ

12 a 15 de outubro das 08h às 12h

Local: Centro Cultural José Octávio Guizzo Rua 26 de agosto, 453 – Centro – Campo Grande-MS.

2- Oficina de Cadernos de Registros: narrativas de viagens, memórias de viajantes

Clarissa Suzuki/SP

12 a 15 de outubro das 08h às 12h

Local: Biblioteca Isaías Paim – Memorial da Cultura Apolônio de Carvalho

PROGRAMAÇÃO ESPETÁCULOS

12/10 – 19h – Cadê?!

Aplausos Cia Teatral

Local: Arena Bosque – Espaço Grupo Casa

Av. Cônsul Assaf Trad, 4796 – (Shopping Bosque dos Ipês)

13/10 – 19h – As aventuras de Bagacinho Quem conta um ponto cria um conto em: A Paixão de Romeu e Julieta

Grupo Casa – Coletivo de Artistas

Local: Teatro Prosa SESC Horto – R. Anhanduí, 200 – Centro

14/10 – 19h – Judith e sua sombra de menino

Júnia Cristina Pereira

Local: Teatro Prosa SESC Horto – R. Anhanduí, 200 – Centro

15/10 – 19h – João e o Pé de Feijão na Terra do Nunca

Circo do Mato

Local: Teatro Prosa SESC Horto – R. Anhanduí, 200 – Centro

16/10 – 14h Dandys Acrobático= Cia Theastai

Local: CRAS Vida Nova – R.Jaci Maria de Azevedo Môro, 162

17/10 – 14h Um poeta na cidade

Emmanuel Marinho

Local: CRAS São Conrado – R. Livinho Godói, 777

18/10 – 14h – Histórias e Canções da Nossa Terra

Jorge de Barros, Jerry Espindola, Guga Borba

Local:CEINF Comunidade Tia Eva – R. Dom Cirilo, S/N

19/10 – 14h – Tragicomédia de Dom Cristovão e Sinhá Rosinha 

Teatro Imaginário Maracangalha

Local: CRAS Rosa Adri – R. Lúcia dos Santos, 295

Contato para imprensa

Ramona Rodrigues – (67) 9 9903-3550

Larissa Lopes – assistente de produção (67) 9 9229-1951

Carol Alencar (assessoria de imprensa) – (67) 9 9999-6361

Acompanhe todas as informações em nossas redes sociais

Facebook – Ateliê Ramona Rodrigues

Instagram – @atelieramonarodrigues